Quero um amor que dê prejuízo no rodizio


  Eu quero um amor que dê prejuízo. Porque eu já economizei demais. Economizei sorrisos, carinhos e afetos. Então agora eu quero um romance ostentação. Débito ou crédito? Amor, moça. Em suaves prestações pra vida inteira.

Quero que seja intenso e verdadeiro, como todo romance tem de ser. Aquela vontade de aproveitar o parque, deitados em baixo de uma árvore e se lambuzar com o sorvete, sabe? Ou curtir um filme agarradinhos num dia chuvoso. Que Deus abençoe a Netflix, amém!

Quero que tenha o friozinho na barriga antes do encontro, ou o 'eu te amo', dito entre beijos na despedida, que já deixa o coração apertadinho de saudade.

Eu quero um amor que, assim como eu, ria de coisas idiotas e faça piadas ruins. Eu vi uma matéria no Buzzfeed que deixou meu arsenal cheinho delas!

Eu espero um romance regado de muita comida. Coxinha, pastel de Nutella e pizza. Quero um mozão pra engordar comigo e depois tirar aquela foto juntos no espelho da smart fit e ver o povo comentando "que casalzão da porra!"

Quero um amor que tope um prato de pedreiro, até o último grão de arroz, mas que me acompanhe naquele jantar chique de família também.

Quero um amor que me convide pra jantar fora. Um rodízio depois da escola. Quero um amor que, assim como eu, coma até olhar pro gerente e ver ele secando as lágrimas com guardanapo, torcendo pra gente ir embora.

Rodízio? Eu vim aqui com meu amor foi pra dar prejuízo!

Por Lucas Corrêa e Diego Henrique.
Filho de Capitu é uma Marca CAPISTORE. Tecnologia do Blogger.